sexta-feira, 6 de junho de 2008

Palhinha do primeiro conto

Enquanto a primeira edição não sai, aqui vai uma palhinha do primeiro conto, até para quem se interessou ter uma idéia de como vai ser o negócio.

-----------------------

O Nascimento de um Mercenário
Dinossauros, bebês e long-necks

- Então quer dizer que ela não quis ir pra casa contigo? - as palavras são meio que arrotadas por Alberto depois de um longo gole de cerveja.

As janelas abertas do carro até tentam expelir para fora a fumaça exalada pelos três enquanto fumam seus cigarros, mas não conseguem. É muita coisa. Alberto, no banco de trás, é magro e loiro, e tem a cara marcada por algumas rugas precoces - o que ele afirma ser o stress. No banco do passageiro, Santiago é o mais alto, com seu cabelo ralo e ensebado. Luis, o motorista, barrigudo e bigodudo, parece sempre ansioso, com sua testa suada e seus olhos esbugalhados. Eles têm lá seus trinta e poucos anos, embora às vezes ajam como se tivessem dez.

Alberto é quem fala, e ele gosta de falar mais do que deveria. A lata de cerveja em sua mão pinga no banco do carro.

- O que eu podia fazer? Eu devia tá com um bafo violento de cerveja. Pra variar - diz Santiago, no banco de passageiro, rindo de sua própria história.

O endereço escrito à mão no bilhete que ele segura é o que os guia pelas ruas residenciais quietas e mal-iluminadas por postes baixos - os que funcionam.

- Porra Santiago! Cadê a porra da casa? - diz Luis, batendo a mão no volante, impaciente - nós tamos procurando essa desgraça há mais de meia hora e esse idiota não pára de falar merda!

- Eu? Falando merda? Você devia era se gravar pra ouvir depois - aí sim dava pra ouvir um monte de baboseira - diz Alberto, rindo - Porra, essa cerva esquentou - ele joga a latinha meio cheia pela janela, que bate no chão fazendo um barulho agudo e alto.

- Puta merda, seu idiota! - diz Luis, dando um toque no freio que faz Alberto bater a cabeça no seu banco - cê ainda não entendeu que não é pra chamar a atenção, seu bosta?

- Vamos parar com a putaria, os dois. Ali, vira à direita - diz Santiago, que aproxima o papel do rosto pra checar se viu o nome certo da rua, enquanto Luis vira à esquerda.

- Puta merda, Luis! Eu não acabei de falar que era pra virar à direita?

- E eu não virei? - o som de gargalhadas vindas do banco de trás explodem no ar.

- Não acredito que você não sabe diferenciar direita de esquerda! - diz Alberto.

- Ah, vão pra puta que pariu. Só me aponta qual o caminho da próxima vez, porra...

Eles dão a volta no quarteirão e entram na rua indicada previamente.

- É essa aqui mesmo, finalmente - diz Santiago, olhando a plaqueta pregada no muro da casa da esquina.

Eles seguem lentamente e param logo atrás de um carro parado rente ao meio-fio, na frente de uma casa branca pequena entremeada por residências maiores. Na garagem da casa, que é um pequeno espaço além da calçada, outro carro, esse velho e estourado, está estacionado torto.

- Será que o malandro tá com visita? - diz Santiago, apontando o queixo na direção do carro à sua frente.

- Se tiver, o chefe falou que não é pra poupar ninguém. Vamos acabar logo com isso e voltar pro bar - diz Luis.

Alberto pega ao seu lado no banco as boas e velhas toucas pretas, com furos para os olhos. Eles descem do carro e abrem o porta-malas. Santiago pega uma escopeta, e os outros, pistolas. Andando na direção da porta da frente da casa, colocam as toucas na cabeça.

- Prontas, meninas? - diz Alberto, rindo, numa típica demonstração de que perde as melhores oportunidades de ficar quieto.

--------------------------

E aí, gostaram? Os comentários estão liberados para qualquer um, então caso queiram postar algo, sintam-se à vontade.

Em breve: os primeiros esboços!


4 comentários:

déborah disse...

5 palavrões em cada 6 palavras!
:D
muito bom!

Lazaro Fernando disse...

Típico do Xuxo!!!

uhauhauhahuahu

gostei véio... os desenhos estão fodíssimos tbm

André F. disse...

Xuxo...
véiooo... sua cara mesmo, finalmente um roteiro vai se tornar algo palpável...

curti pra caralho bixo!

e os esbosços ficaram ótimos

me surpreeenda gordão
huiahauiha

Titão disse...

Como a galera disse..é típico do Xuxão mesmo hehe
Do caralho cara,o mistério e tal,as coisas bem descritas..
E os desenhos ficaram massa tambem,o cara desenha bem pra caramba
Sucesso!